O depois quando ainda era antes

Acontece mil vezes na nossa vida. Fazemos uma coisa, depois nos arrependemos. Geralmente são coisas simples, como comprar uma roupa e nunca usar, às vezes são maiores, raramente são comprometedoras, como quando a pessoa escolhe a profissão errada ou se arrepende do casamento; mesmo assim costumam ter conserto.

Sem conserto mesmo são aquelas que deixam uma mancha definitiva, da qual a pessoa não consegue se livrar. Imagino, por exemplo, que alguém que não seja psicopata nunca se esqueça de um ato de violência que praticou ou da falta de solidariedade a uma pessoa querida num momento em que ela necessitava. (mais…)

Leia Mais

O bispo

Doutor, o bispo quer lhe ver. Não incomoda, Sandra. Mas é verdade, doutor, é o bispo.

Era verdade: o bispo de Santa Maria estava em Cacequi, em viagem pastoral, e queria visitar o juiz.

Confirmada a notícia, tive o sentimento de que seria bem mais do que uma visita protocolar, porque teria a oportunidade de conhecer pessoalmente Ivo Lorscheiter, ex-secretário geral e ex-presidente da CNBB, ativista de direitos humanos e pedra no sapato da Ditadura. Além disso, teria uma bela história para contar a minha mãe, que sabia tudo de padres e bispos e conhecera D. Ivo coroinha.

(mais…)

Leia Mais

Meu pai e Piketty

Ele era uma pessoa justa.

Religioso, conservador, austero, trabalhou muito por muitos anos. Profissão, alfaiate. Mas a profissão era insuficiente para sobreviver, e ele também vendia sapatos, de preferência com defeito, para ficar mais barato aos seus fregueses agricultores. Vender sapatos também era insuficiente, e às cinco horas ele fechava as portas para ir à roça. Assim criou onze filhos.

(mais…)

Leia Mais