Venezuela

Deu na capa da Veja: o falastrão caiu. Lembro que de Ijuí, onde morava, mandei mensagem: minha assinatura vai até o final do ano, mas podem parar de mandar agora. O fato é que a revista comemorou o golpe que derrubou Chávez. Começou com manifestações de rua convocadas por entidades empresariais e imprensa e se consumou com uma ação militar. Era 2002, tempo pouco, mas os golpes ainda eram feitos com fuzis. Tanto era golpe que, daqui, FHC condenou a quartelada. (mais…)

Leia Mais

A caminho do trabalho

Rádio eu ouço no deslocamento. Vinte minutos de manhã, dez à noite e menos que dez antes e depois do almoço. Era a Cultura, evidentemente. Minutos de Bergter, depois Lena Kurtz, Demétrio, Paulo Moreira. Se variava o horário da manhã, pegava MPB; se me antecipava à noite, desligava, porque ninguém aguenta discurso de deputado (nada contra os deputados, tudo contra a pobreza dos discursos).

Ocasionalmente, quando a entrevista do Bergter não me interessava ou não gostava da música, dava uma chuleada numa das grandes, principalmente onde estivesse o Juremir, ou na Rádio da Universidade, com seu chiado de chuvas e trovoadas. (mais…)

Leia Mais

Viva, fui hackeado!

Chego de férias, dias sem internet, e o Bissexto não abre: só há uma mensagem em inglês sobre a tela branca, dizendo que fui raqueado. Gelei, porque nunca me preocupei com fazer cópias de segurança, o que significava a possibilidade de ter perdido todos os meus quase duzentos textos.

Senti certo alívio ao entrar na página de edição: os textos estavam lá, embora desconfigurados. Pouco familiarizado com informática, procurei o Rodrigo Moraes, que providenciou a contratação de programador, e aqui estou, ainda sem o formato original, que, com alguma paciência, será depois recuperado. (mais…)

Leia Mais

Suruba

Fui cobrado. Escrevi há alguns dias, e ouvi a crítica: como assim, achar que o Moreira Franco, tão lembrado nas delações, pode ser nomeado ministro? Optei pela resposta simples, e disse: pelo mesmo motivo que me levava a defender que Lula fosse nomeado.

A tréplica foi imediata: mas não proibiram o Lula de tomar posse? Complicou, e fui obrigado a um malabarismo, para dizer que defendo a aplicação da lei, e não vejo como proibir o presidente de nomear ministro alguém que nem ao menos foi denunciado. Até lembrei, com um sorriso amarelo, que Temer prometeu demitir ministro que venha a ser denunciado. (mais…)

Leia Mais

O circo e o bonde

Tenho um amigo honesto. Explico: ele não é honesto como me imagino ou como você provavelmente é. Não, ele é muito mais honesto; é dessas pessoas que provavelmente nunca cometeram um pecado na vida, a virtude em pessoa.

Devo dizer que essa sua admirável qualidade lhe traz algumas dificuldades. Uma delas é ver o mundo e as pessoas por essas lentes e sempre acreditar grandeza humana, o que não raro lhe causa frustrações. Obviamente, é um democrata, e, preocupado com o processo de impeachment, veio me dizer que é necessário cuidar para que seja observado o devido processo legal. (mais…)

Leia Mais

Derrubar presídios

Vou radicalizar: minha proposta é derrubar presídios. Justificativa? São inúteis.

Claro, eu sei: hoje o Brasil existem mais de 600 mil presos, colocados onde há menos de 400 mil vagas. Eu mesmo participei, quando presidente da Ajuris, de uma campanha pela melhoria das condições do Presídio Central. Mas já na época questionava essa compulsão social por prender, prender, prender. Quando se olha para o Congresso, à direita e à esquerda tramitam projetos de lei para criminalizar mais condutas e aumentar mais penas. Descriminalização nunca. Aliás, minto: há dois temas para os quais não falta mobilização de deputado: liberar armas e livrar certas figurinhas que mandaram dinheiro para o exterior. (mais…)

Leia Mais

Uma foto de família

Queria escrever sobre família. Precisava escrever. Então, há dias me pus a pensar ideias para um texto. Não as tive.

É incrível minha dificuldade para definir o óbvio. Mais incrível ainda quando alguém diz absurdos sobre o óbvio. Como construir um discurso inteligente para refutar o absurdo? Parece que alguém nos ejeta do mundo da racionalidade, e daí qualquer palavra que venha terá de se adaptar à esquizofrenia do momento.

(mais…)

Leia Mais

O bispo

Doutor, o bispo quer lhe ver. Não incomoda, Sandra. Mas é verdade, doutor, é o bispo.

Era verdade: o bispo de Santa Maria estava em Cacequi, em viagem pastoral, e queria visitar o juiz.

Confirmada a notícia, tive o sentimento de que seria bem mais do que uma visita protocolar, porque teria a oportunidade de conhecer pessoalmente Ivo Lorscheiter, ex-secretário geral e ex-presidente da CNBB, ativista de direitos humanos e pedra no sapato da Ditadura. Além disso, teria uma bela história para contar a minha mãe, que sabia tudo de padres e bispos e conhecera D. Ivo coroinha.

(mais…)

Leia Mais