Morreu na contramão

Fidel e Che

Era para ser bissexto, mas adquiriu uma regularidade, e na manhã cansada de sábado o editor que me habita me sacoleja na cama e me manda ao texto.

Às vezes, é só o tempo de levar ao monitor o artigo que me interpelou ao longo da semana, e ele jorra fácil, com frases previamente construídas. Nesse caso, apenas me preocupo com a ordem das ideias, com corrigir a pontuação, excluir os adjetivos e advérbios que vieram em demasia, substituir palavras repetidas, me policiar com as metáforas. Em seguida está pronto. Geralmente sai redondo. (mais…)

Leia Mais

Trumpeanas

trump

Há meses pensava em escrever sobre as eleições dos Estados Unidos. Pretendia publicar na véspera. Mas esqueci. Não sei se foi só distração ou se fui traído pela falta de convicção sobre a linha que havia decidido adotar. Vou resumi-la. Pretendia fazer um texto inteiro contra Hillary, dizendo que ela era uma defensora do establishment, representante do grande capital financeiro e da indústria de armas, da qual poderíamos esperar uma posição agressiva dos Estados Unidos no mundo e o acirramento das guerras imperiais de sempre. Escreveria tudo isso, mas terminaria dizendo que entre uma cínica e um psicopata, ainda era mais seguro torcer pela cínica. (mais…)

Leia Mais

Ordem e progresso

ordem e progresso

Está lá na nossa bandeira, e aprendemos a conhecer desde pequenos: ordem e progresso. Poucas bandeiras do mundo trazem inscrito um lema, como nós temos no lábaro estrelado. Quem botou foram os positivistas, graças à sua influência na conspiração republicana.

O lema da religião comteana era mais extenso: o amor por princípio e a ordem por base; o progresso por fim. Ficaria muito comprido, e deixaram só ordem e progresso. (mais…)

Leia Mais

Qual é a de Gilmar?

Gilmar Mendes

Pensei duas coisas ao ler a notícia da condenação de jornalista a pagar indenização por danos morais a Gilmar Mendes, por ter criticado a concessão de habeas corpus ao médico Roger Abdelmassih, condenado por estupro.

A segunda foram elocubrações sobre os limites ao direito de crítica e as circunstâncias em que cabe reconhecer o abuso, acompanhadas da impressão de não existirem padrões uniformes para o trato da questão. (mais…)

Leia Mais

Cunha e o morador de rua

Goya - dois velhos comendo batatas

Pensei se deveria escrever um artigo intitulado Crônica de uma prisão anunciada. Achei melhor não. Vou para outra seara, numa semana cheia de fatos e significados. Falarei sobre agressões, mesmo porque já havia pensado em escrever sobre o episódio com Cunha no aeroporto.

Queria entender melhor o significado da palavra escrachar, na acepção que agora lhe é dada, de esculhambar publicamente. Confesso que gostei desse modo de luta, que, em tempos de comunicação instantânea, é filmado, compartilhado e viralizado, numa espécie de guerrilha política, em que o político sacana ou golpista sofre na carne todo o desprezo que lhe é dirigido. (mais…)

Leia Mais

Viajantes do tempo

De volta para o futuro

Às vezes, em meus devaneios, imaginava a visita de alguma figura ilustre de passado aos nossos tempos. Via Kepler maravilhado, contemplando o céu com o Hubble, ou Da Vinci dando gritos de alegria enquanto pilotava uma asa delta, a barba esvoaçando ao vento. Em outro momento, tentava adivinhar a reação de Beethoven, equipado com moderno aparelho auditivo, num concerto cujo programa iniciasse com a Sagração da Primavera, seguisse com Schönberg e terminasse com a Metallica. (mais…)

Leia Mais